Rolling Stone Country

Rolling Stone Country, o título já diz tudo

A maior publicação de entretenimento do mundo, agora também é country e sertaneja

Felipe Branco Cruz Publicado em 28/10/2019, às 10h30

None
-

A Rolling Stone, uma das principais publicações de entretenimento do mundo, reconhece a importância do country music americano e do sertanejo no Brasil e estreia agora a versão Country. A nossa missão será a de reportar tudo o que acontece no country feito nos EUA e do universo sertanejo no Brasil com a seriedade e credibilidade que a marca tem, replicando no país a estrutura que a matriz mantém nos Estados Unidos.

O sertanejo assumiu a preferência popular dos brasileiros há alguns anos e desde então é o estilo musical mais tocado do país. Mas o sucesso nas rádios, TVs e serviços de streaming não se refletiu na grande mídia. 

Quer um exemplo? No domingo, 29 de setembro, enquanto todas as atenções estavam voltadas para o show do Bon Jovi, no Rock in Rio, o cantor Gusttavo Lima se apresentava em Goiânia para mais de 50 mil pessoas. Exceto pela mídia local, a mega apresentação do cantor brasileiro passou incólume pelos principais veículos de comunicação do país. Não mais.

Aqui no site, os fãs de country e sertanejo vão encontrar tudo que é mais importante e relevante desse universo, como entrevistas, grandes reportagens, lançamentos, análises e perfis dos principais artistas. Para a estreia, escolhemos a dupla Simone & Simaria, que concederam uma entrevista exclusiva contando sobre como mudaram a carreira após a grave doença que Simaria enfrentou. 

Também vamos postar todas as novidades e atualizações nas nossas redes sociais. Aproveita e já siga a gente no Instagram, Twitter e Facebook

Números não mentem

Os números ajudam a entender o tamanho do sertanejo no Brasil. Por exemplo, em setembro, na plataforma de streaming Deezer, 54% das 100 músicas mais ouvidas foram sertanejas. No Top 10, esse número sobe para 80%. Os números continuam expressivos quando se avalia apenas os artistas. Dos Top 100 mais escutados em setembro, 22% deles eram sertanejos.

A força do sertanejo no Brasil é tão grande que influencia também os números globais da plataforma. Cerca de 19% das músicas tocadas no Deezer em todo o mundo eram sertanejas e 10% dos artistas também. Outro fenômeno é a cantora Marília Mendonça, que foi a artista feminina mais ouvida no Brasil e no mundo.

No YouTube, dos 10 vídeos de música mais assistidos em setembro, seis são sertanejos e Marília Mendonça também se destaca. Dela, o clipe de "Supera" ficou em 3º lugar e "Bebi Liguei" em 4º. A 5ª posição é ocupada por "Cobaia", de Lauana Prado. "Milu", de Gusttavo Lima, ocupa a 6ª posição e a dupla Matheus & Kauan ocupa a 8ª e a 9ª posições com "Vou Ter Que Superar" e "Quarta Cadeira".

O sertanejo também não sai da lista Top 50 do Brasil no Spotify. Neste momento, ocupam as primeiras posições "Supera", de Marília Mendonça, "Quando a Bad Bater", de Luan Santana, "Tijoão", de Jorge & Mateus, "Ferida Curada", de Zé Neto & Cristiano, "Lençol Dobrado", de João Gustavo & Murilo, "Cheirosa", de Jorge & Mateus, "Serenata", de Marília Mendonça, "Quem Traiu Levou", de Gusttavo Lima e "Fake News", de Gustavo Mioto.

Nas rádios, os números são ainda mais impressionantes. De acordo com a ConnectMix, que monitora as execuções nas rádios de todo o Brasil, em setembro, as 17 primeiras posições foram ocupadas apenas por músicas sertanejas, lideradas por "Milu", de Gusttavo Lima, com 97 mil execuções. Luan Santana, Jorge & Mateus, Zé Neto & Cristiano, Maiara & Maraísa, Marília Mendonça, Yasmin Santos, Felipe Araújo e Michel Teló também estão no ranking.

Já deu para entender que o sertanejo tem público, mercado e MUITO assunto para justificar uma cobertura jornalística séria e independente que só a Rolling Stone é capaz de fazer. Tanto é que nosso slogan é simples e direto: "Rolling Stone Country, o título já diz tudo".


Siga a @RSCountryBR nas redes sociais: