Rolling Stone Country
Sertanejo » Especial

20 anos de Amigos: a união que mudou a cara do sertanejo nos anos 90

Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Zezé di Camargo & Luciano ultrapassaram gerações

Ana Elisa Abddala Publicado em 18/12/2019, às 07h00

Amigos comemoram 20 anos de história
Amigos comemoram 20 anos de história - Foto: Divulgação

Em qualquer grupo de amigos sempre existe aquela pessoa que é a mais engraçada ou aquela mais certinha. Tem também aquele que gosta de contar histórias ou aquele que bebe mais que todo mundo. Com os amigos Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & XororóeLeonardo não é diferente. Só que a bagunça dessa turma acontece também no camarim e não apenas em no bar.

Mas o que acontece nesse camarim? Leonardo, é claro, gosta de tomar umazinha. Zezé gosta mesmo de tocar uma sanfona. Xororó, por sua vez, tenta segurar a bagunça enquanto Chitãozinho e Luciano só observam. Luciano acredita que o Xororó vai "consertar" o Leonardo ou Leonardo vai estragar o Xororó. Pelo menos foi isso que essa turma contou no início de novembro em um encontro com a imprensa nos estúdios da Globo, em São Paulo.

Essa amizade, que começou há 20 anos, dura até hoje. Na época, eles faziam parte das três maiores duplas sertanejas do Brasil e se reuníram para produzir um especial para TV Globo. Agora, de volta ao palco, eles provam que, quando a amizade é verdadeira, o tempo até pode passar, mas o companherismo nunca acaba. Nesta quarta, 18, os fãs poderão conferir que a amizade continua a mesma com a transmissão pela Globo do show que eles fizeram em setembro, em São Paulo, no Allianz Parque. 

Com cada integrante vestindo uma letra da palavra "AMIGO", eles ultrapassaram gerações com o romantismo e emoção das canções. Hoje, os seis artistas são a grande inspiração para a nova geração sertaneja.

Para relembrar a importância do especial Amigos para a música brasileira, a Rolling Stone Country Brasil revisita a seguir a trajetória das três duplas.

Quando tudo começou...

Os Amigos se juntaram pela primeira vez no palco em 1995, em um grande show exibido na programação de fim de ano da Globo. A base do especial foi um show gravado ao vivo no dia 24 de outubro no Espaço Verde Chico Mendes, em São Caetano do Sul (SP).

No espetáculo, as duplas cantavam individualmente, trocavam de parceiros e cantavam juntas. Também foram gravadas cenas na fazenda de Chitãozinho em Campinas (SP), mostrando os artistas bem próximos em um churrasco de confraternização, mostrando que realmente eram amigos. Foram apresentadas 30 canções, entre elas o sucesso "É o Amor”. Ao final do espetáculo, as três duplas cantaram juntas o clássico sertanejo "Menino da Porteira", a canção natalina "Noite Feliz" e "Marcas do Que se Foi". A atração agradou tanto ao público que continuou pelos três anos seguintes.

Um ano depois, em 1996, foi a vez do segundo especial e do primeiro disco. Exibida no Natal, a gravação foi feita ao vivo nas férias de julho em Paulínia, no interior de São Paulo. O 1° disco contou com participações de Simone, das duplas Chrystian & Ralf, Gian & Giovani e João Paulo & Daniel e do locutor de rodeios Asa Branca. As canções "Romaria", "Calix Bento", "Saudade de Minha Terra" e "O Homem de Nazaré” foram interpretadas pelas três duplas juntas e ganharam destaque.

Em 1997, ano do terceiro especial, o Brasil perdia um pedaço do sertanejo. João Paulo, da dupla com Daniel, morreu naquele ano em um grave acidente de carro. Daniel então, convidado pelos Amigos, protagonizou o momento mais emocionante. “Já que estamos em uma festa entre amigos, entre amigos verdadeiros, eu gostaria da licença de vocês de dedicar uma música ao melhor amigo que eu tive”, falou o artista antes de cantar a música “Canção da América” junto a Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Zezé di Camargo & Luciano.

Criado por Legey, Paulo Netto e Mauro Monteiro, o 2° disco foi gravado no dia 12 de dezembro de 1997 no Estádio do Mineirinho, em Belo Horizonte. Neste ano o cenário tinha inspiração futurista e um palco de cinco pontas que aproximava os artistas do público.

O último com Leandro

Em dezembro de 1998 foi o último até então. O Espaço Verde Chico Mendes, em São Caetano do Sul, sediou o momento mais emocionante de toda a história dos Amigos.  “Eu tenho até hoje a imagem na minha cabeça, os cinco juntos chorando a perda do Leandro”, lembrou Zezé di Camargo.

Naquele ano Leandro, da dupla com Leonardo, morreu vítima de um câncer de pulmão. A ausência do 6º integrante tornou o 3° disco muito emocionante. Após vários sucessos, o show terminou com a música “De Corpo e Alma (Bridge over Troubled Water)”, com a participação do conjunto Fat Family, em homenagem a Leandro.

O primeiro show sem o 6º amigo foi o momento mais marcante de toda a trajetória. Após a perda do irmão, Leonardo havia decidido desistir da carreira, mas com a força e fé doada dos amigos seguiu a trajetória que mantém até hoje.

A gravação ocorreu nos dias 6 e 7 de novembro, com um público de cerca de 60 mil pessoas. Dessa vez o cenário tentou reproduzir as festas de rodeio do interior de São Paulo. “A palavra amigos tem 6 letras e para nós sempre vai continuar tendo”, disse Chitãozinho.

Amigos & Amigos

A partir dessa série de especiais surgiu o programa Amigos & Amigos, também televisionado na Rede Globo em 1999. Com direção de Paulo Trevisan, Maurício Tavares e Emília Silveira o programa era marcado pela descontração. Os cinco artistas contavam casos, cantavam e abriam espaço para cantores e duplas iniciantes. 

Os amigos também reencontraram antigos amigos de estrada, como o cantor Tinoco e a dupla Pena Branca & Xavantinho. Para acompanhá-los em Amigos & Amigos, eram convocados artistas ligados ao mundo country, como Lúcia Veríssimo, Roberta Miranda e algumas duplas de repentistas. 

O programa apenas chegou ao fim pelo cansaço dos artistas. Era o auge da carreira de cada um e eles não estavam conseguindo conciliar os shows com as gravações. Apesar disso, Chitãozinho, Xororó, Leonardo, Zezé e Luciano se animaram ao pensar em uma volta do programa, já que agora os cinco possuem mais tempo. "Tudo depende do Boninho", brincou Luciano ao apelar para o diretor de vários programas da Rede Globo.

O retorno

No início de maio de 2019, os Amigosdivulgaram a volta do projeto em comemoração aos 20 anos de história. O show de São Paulo, no Allianz Parque, foi gravado para o especial de fim de ano da Rede Globo que será transmitido no dia 18 de dezembro depois da novela.

Com 75 minutos e 44 músicas, o diretor, LP Simonetti, contou que o mais difícil foi a escolha do repertório. "A minha maior dificuldade é decidir o que vai rolar, daria para transmitir as 3 horas de show tranquilamente, mas a TV não tem espaço". As certeiras são "Evidências", "Pense em Mim" e "É o Amor", clássicos que ultrapassam gerações. Há ainda a participação do maestro João Carlos Martins na música "Fio de Cabelo". Para Zezé, seria um egoísmo ficarem só nisso, então provavelmente virão outros especiais.

"Agora estamos mais maduros e percebemos que a saudade que tínhamos não era só nossa, era do público também", contou Chitãozinho. Com crianças, jovens e adutos emocionados, os artistas conquistaram e ainda conquistam famílias, as músicas cantadas por esses sertanejos ultrapassam gerações.

Confira algumas fotos do especial: 

GLOBO/Fábio Rocha
GLOBO/Fábio Rocha
GLOBO/Fábio Rocha

 

Siga a @RSCountryBR nas redes sociais e não perca nada do universo country e sertanejo.