Rolling Stone Country
Entrevistas » Gusttavo Lima

"Tudo que eu escutava no sertanejo parecia a mesma coisa", diz Gusttavo Lima sobre bachata em novo álbum

Em entrevista exclusiva para RS Country Brasil, cantor falou sobre o novo álbum, bachata e título de Embaixador

Clara Guimarães Publicado em 16/12/2019, às 07h00

Gusttavo Lima conversou com a Rolling Stone Country Brasil nesta quinta, 12
Gusttavo Lima conversou com a Rolling Stone Country Brasil nesta quinta, 12 - Foto: Felipe Branco Cruz/Rolling Stone Country Brasil

Gusttavo Lima lançou na última sexta, 6, todas as músicas do álbum O Embaixador In Cariri. Gravado na Expocrato, no Ceará, o DVD tem um total de 17 músicas, entre elas "Milu", "Perrengue" e "Carreira Solo", que já fizeram sucesso com os clipes divulgados anteriormente.

O álbum mistura o sertanejo com o forró e a bachata, mostrando um lado mais eclético de Gusttavo Lima, que busca aumentar o próprio público. Nessa tentativa, o cantor adicionou também letras em espanhol ao repertório na música "Última Letra".

+++Leia Mais: “Grandes shows juntos”: Gusttavo Lima confirma parceria com Wesley Safadão

Em entrevista exclusiva para Rolling Stone Country Brasil sobre o novo projeto, Gusttavo revelou como escolheu o local da gravação, a influência da bachata, a mudança da indústria  sertaneja, o mercado latino e o título de Embaixador

Região de Cariri

Gusttavo Lima foi para Cariri, uma conurbação entre os municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, pela primeira vez com o Buteco do Gusttavo Lima em 2015. Quando teve a oportunidade, três anos depois, de se apresentar na Expocrato, uma das maiores feiras do Nordeste, teve certeza que tinha que gravar um DVD no local.

"Eu falei pro organizador do evento: 'João Carlos, ano que vem eu vou voltar para gravar um DVD'. A energia do pessoal, do público de lá, é quase incomparável ao de outras regiões. Você fala: 'Joga a mão para cima', todo mundo joga. Então é um pessoal que canta muito todas as músicas como se fosse o último show. Pensei: "Ah, não tem como não gravar o DVD lá", contou Gusttavo

Além da parte sentimental, Gusttavo contou que a posição da região de Cariri no Nordeste também é muito estratégica. "Não poderia ser em outro local, sabe? Nada é tão tradicional, tão importante para o Ceará e para o Nordeste inteiro, que não fosse o Cariri. Porque o Cariri está perto da Paraíba, esttá do lado de Teresina, Pernambuco, Ceará, Piauí, então você pega todo aquele público de diferentes estados em uma só cidade. O maior público veio de cidades vizinhas", explicou.

A Bachata

O cantor disse que conheceu a bachata ainda no começo da carreira e se apaixonou. "Era envolvente, não sei o que era, mas tinha alguma coisa de diferente, não era bolero, não era arrocha, era algo completamente novo".

+++Leia Mais: Gusttavo Lima lança primeira música com Wallas Arrais: "Um dos maiores cantores que tive a honra de conhecer"

Mas a primeira música a incorporar a bachata viria apenas em 2014 com  "Jejum de Amor". Gusttavo comentou que demorou para aderir ao ritmo porque era algo muito diferente do que estava sendo feito no sertanejo. O sucesso do estilo, no entanto, veio forte mesmo em 2018, com o lançamento de "Cem Mil" e "Milu". 

"A gente já vinha desse sertanejo universitário há praticamente 12, 13 anos. E tudo que eu escutava parecia a mesma coisa. Sempre era vanera ou pop. E eu falei: 'Acho que tenho mudar, sair na contramão do que todo mundo estava fazendo' A bachata foi a bola da vez", contou. 

Influências Latinas

As influências latinas não param na bachata, Gusttavo Lima revelou ser um grande fã de músicas em espanhol e falou de cantores como Prince Royce, Christian Castro, Mark Anthony e Gente de Zona, com quem fez parceira na música "Lo que Tú y Yo Vivimo" do novo álbum.

Essa não é a única faixa com letras em espanhol no O Embaixador In Cariri. Em "Última Letra"- ou "Mi Última Letra"- Gusttavo mistura a língua estrangeira ao português. Em conversa, o cantor disse que não é apenas questão de gosto pessoal, mas também é uma estratégia. 

"O segundo país que mais ouve Gusttavo Lima é o Chile, com 8, 10 milhões de ouvintes mensais. Então, depois que a gente colocou a bachata, incrementou o que eles adoram. A gente conseguiu atrair muitas pessoas que não estavam na indústria sertaneja para o mercado do Gusttavo", explicou o cantor. 

O Embaixador continua?

Com uma tatuagem na nuca escrita Embaixador, Gusttavo Lima assumiu completamente o apelido, adquirido pela primeira vez em 2017 no Rodeio de Barretos. Mas revelou que não sabe se os próximos álbuns vão manter o título. "Ah, aí eu já não sei, né? Mas assim, já foram dois álbuns, querendo ou não, virou um bordão, uma marca. Já fizemos 20 ou 30 shows sob o nome Embaixador In".

O cantor tem atualmente dois projetos principais rodando pelo Brasil: Buteco do Gusttavo Lima e o Embaixador In. Por essa questão, Gusttavo disse que pretende manter a marca nos shows, porém ainda não sabe se próximos álbuns continuarão com título. 

In Cariri

Apesar de já ter disponibilizado os áudios de todas as músicas nas plataformas de áudio, Gusttavo ainda segue lançando um clipe por semana da gravação de O Embaixador In Cariri. "Pra mim tinha que soltar tudo de uma vez", brincou o cantor na coletiva de imprensa.

Na quinta, o Embaixador divulgou o vídeo de "Vai Viver Sua Vida", na qual canta a história de um homem cansado de como a ex lida com o relacionamento. 

 

Siga a @RSCountryBR nas redes sociais e não perca nada do universo country e sertanejo.