Rolling Stone Country
Entrevistas » Michel Teló

"Quis passar para o público a memória afetiva da minha infância", diz Michel Teló sobre novo EP

O cantor conversou com a RS Country sobre o projeto "Churrasco do Teló 2"

Isabelle Colina Publicado em 28/03/2020, às 13h20

O cantor gravou o projeto no início de 2020
O cantor gravou o projeto no início de 2020 - Foto: Reprodução/Instagram

Em meio à pandemia mundial de coronavírus, Michel Teló busca animar o público com o lançamento do dançante EP Churrasco do Teló 2 e o artista garante: “Temos a responsabilidade com a nossa arte, de alguma maneira tentar fazer com que o dia a dia das pessoas tenha uma música para ouvir”. 

As canções “Quem Falou Mentiu”, “Fome de Amor”, “Print”, “Desobediente”, “Bê” e “O Choro é Livre”, o amor e o churrasco foram as escolhas para dar ritmo à nova fase do artista. 

+++Leia Mais: "Falavam que eu devia ficar quieta por ser mulher": Naiara Azevedo revela desafios que enfrentou para lançar o DVD "Sim"

O novo projeto, gravado em Votorantim, interior de São Paulo, é muito especial para Michel, pois além de marcar o início dos trabalhos de 2020, mexe com a memória afetiva da infância do artista e traz os momentos dos churrascos de família.

 “A ideia era justamente essa, juntar a galera em um lugar bonito, levar nossa caminhonete churrasqueira e fazer em uma ‘vibe’ bacana e divertida. Fiquei muito feliz com com resultado. Quando recebi a foto do local pensei ‘imagina reunir a turma na sombra dessa árvore. É esse o lugar’”, explicou Teló. 

+++Leia Mais: "Sou muito eclético, gosto de colocar de tudo um pouco", diz Felipe Araújo sobre novo DVD

Contudo, o sertanejo diz estar com medo do futuro e os problemas que a quarentena do Covid-19 poderá causar. Show suspensos até o final de abril e com o mês de março já em alerta, o retorno incerto do musical “Bem Sertanejo”, tão importante para Michel e para a música. 

“O musical é um projeto tão bonito e importante culturalmente. Tenho um orgulho tão grande que todo ano acabo fazendo uma temporada, porque acho que é um projeto atemporal. Daqui 10, 20, 50 anos podemos tranquilamente fazer ele. Na minha opinião faz um grande favor para a música sertaneja, caipira, para o interior, nossa história”

+++Leia Mais: Thaeme & Thiago revela bastidores do novo DVD "Química": "Saímos da zona de conforto"

Michel Teló conversou com exclusividade com a Rolling Stone Country e explicou de onde surgiu as inspirações musicais do novo projeto, a influência dos fãs e família na carreira, o processo desde a gravação até o lançamento e as expectativas sobre o futuro.

Confira alguns trechos da entrevista

RS Country: O que esse projeto novo tem de especial para você?

Ele me traz uma memória afetiva, das coisas da infâncias, churrascos de família e pude passar isso para meu público, que é muito especial.

+++Leia Mais: "Churrasco é um evento social", diz Fernando, dupla de Sorocaba, sobre novo trabalho

RS Country: O EP foi gravado em uma represa fechada apenas para convidados. Tem algum motivo para este projeto ser mais intimista?

Queríamos fazer algo para as pessoas verem como que são os churrascos. Claro que organizamos uma estrutura diferente para poder filmar, mas a ideia era justamente essa, juntar a galera em um lugar bonito, levar nossa caminhonete churrasqueira e fazer em uma ‘vibe’ bacana e divertida. Quando recebi a foto do local pensei ‘imagina reunir a turma na sombra dessa árvore. É esse o lugar’. Fiquei muito feliz com com resultado.

RS Country: Como que foi todo o traballho de produção, desde a gravação até chegar nas pessoas pelas plataformas digiatais?

Tudo começa com a escolha do repertório. Nos reunimos com diversos compositores, fazemos as guias e vejo qual me identifico melhor. Assim que gravamos as músicas, entrei de férias e com o avanço da tecnologia fica muito mais fácil. Meu editor ia me mandando as coisas pelo celular, escutava e fala as coisas que queria que mexesse. Depois vai para a mixagem e ficamos pensando nos instrumentos, efeitos na música. Para ter certeza que ficou bom ouço no celular, no fone, no carro, na televisão, em um aparelho específico, escuto várias e várias vezes. É um processo que demora, mas com a digitalização da música ficou muito mais fácil, porque edição acontece em Londrina, mixagem em Goiânia, eu moro em São Paulo. 

+++Leia Mais: Júnior & Cézar lança novo projeto intimista para "abalar o coração dos fãs com sofrência"

RS Country: Com a situação em que o Brasil e o mundo está vivendo, como será o trabalho de divulgação desse novo EP?

Nós artistas temos a mesma sensação das pessoas que estão em casa. medo do que vem, torcer para que as coisas sejam as melhores possíveis e que conseguimos vencer o quanto antes. Mas nós temos a responsabilidade com a nossa arte, de alguma maneira tentar fazer com que o dia a dia das pessoas tenha uma música para ouvir, um conteúdo para assistir, ter entretenimento no meio de tanta notícia triste, então a ideia de shows online é muito legal. 

RS Country: Por quê a canção "Quem falou Mentiu" foi a escolhida para abrir este projeto?

É uma música divertida e estávamos precisando disso nesse momento… De alegria. As pessoas se identificam comigo com músicas leves, dançantes. Nessa pegada, “Quem falou mentiu” tem todos os quesitos. Achei que a galera iria se identificar e fiquei muito feliz com a recepção porque lançamos bem na semana em que tudo é sobre coronavírus.

+++Leia Mais: Thor do sertanejo, Junior Villa mistura sofrência com curtição em álbum de estreia

RS Country: Você tem alguma canção preferida no EP? E a Thaís?

Sou suspeito, mas gosto muito de "Desobediente", "Fome de Amor" que é dançante, “Bê” acho divertida. Gosto bastante dessas. Essas três e "Qeum Falou Mentiu" são as preferidas da Thaís  também

RS Country: Quando um projeto está para ser lançado, você pede a opinião da sua família?

Não tem jeito, estamos juntos, acabamos escolhendo juntos. Sempre penso mais no público, mas as pessoas acabam se identificando com esse momento da minha vida, com minha família e isso acaba refletindo na música.

RS Country: Você tem medo de criar expectativas em uma música e o público acaba não aceitando ela como você esperava?

Isso é natural. Todos projeto tem isso que uma acaba não caindo no gosto da galera, faz parte. Não tenho isso de ficar triste. Tem aquela música que ganha um destaque maior e vamos trabalhando sempre tentando alcançar o coração das pessoas. 

+++Leia Mais: Festival Música Em Casa traz live shows com mais de 20 artistas

RS Country: Esse EP não tem nenhuma participação especial. Na sua opinião, o momento de carreira interfere nesta decisão?

Para falar a verdade eu já cantei com todo mundo, desde a antiga geração até a galera nova. Claro que em alguns nomes que surgiram recentemente que não colaboramos ainda, mas eu queria fazer um projeto só meu mesmo.

RS Country: E você já está pensando nos próximos passos da carreira?

É um ano muito incerto, diferente de tudo. Os shows de maio já estão em sinal de alerta, não sabemos como estará a situação do mundo. Programamos o musical em São Paulo e outros centros, tem o The Voice, lançamos esse EP. Vou continuar trabalhando com muito carinho e alegria para meus fãs

Siga a @RSCountryBR nas redes sociais e não perca nada do universo country e sertanejo.