Rolling Stone Country
Entrevistas » Fernando & Sorocaba

"Churrasco é um evento social", diz Fernando, dupla de Sorocaba, sobre novo trabalho

Dupla conversou com exclusividade com a Rolling Stone Country Brasil sobre a nova turnê

Felipe Branco Cruz Publicado em 28/01/2020, às 10h28

A dupla Fernando & Sorocaba durante a gravação do DVD "Isso é Churrasco"
A dupla Fernando & Sorocaba durante a gravação do DVD "Isso é Churrasco" - Foto: Divulgação

Depois de lançar diversos singles durante o ano passado, finalmente a dupla Fernando & Sorocaba liberou o álbum completo do novo trabalho Isso É Churrasco, em uma edição de luxo publicada nas principais plataformas de streaming. Na última sexta, 24, a dupla conversou com exclusividade sobre o novo trabalho com a reportagem da Rolling Stone Country Brasil, na sede do Spotify.

+++Leia Mais: Fernando & Sorocaba lança álbum "Isso É Churrasco (Deluxe)" com hits animados e sofrências

No bate-papo, os dois cantores falaram sobre as expectativas da turnê para 2020 e sobre a combinação perfeita de churrasco e sertanejo. "Churrasco é muito mais do que carne, é um evento social", disse Fernando. Eles também compararam o preconceito que o country sofre nos Estados Unidos é semelhante ao que o sertanejo enfrenta no Brasil. 

+++Leia Mais: "Muita gente acha que é marketing, mas não é", diz Fernando Zor sobre namoro com Maiara

A dupla deu continuidade neste álbum na pegada country que já vinha apresentando em outros trabalhos anteriores. Além disso, o trabalho conta com participações especiais, como de Maiara & Maraisa, na música "Alô Som" e do americano Kane Brown, na faixa "Paraíso (Heaven)".

Ao todo, o álbum sai com 23 músicas, com hits como "Caminhonete", "Pessoa X", "Cara Feio"e "Bom Rapaz". 

A seguir, os principais trechos da conversa:

RS Country: O que muda na turnê da dupla em 2020?

Sorocaba: Vamos fazer dois tipos de show. O primeiro vai rodar as exposições agropecuárias. É uma apresentação parruda, com tochas de fogo e vários outros elementos diferentes. Vai ter um bloco em que fazemos um churrasco no palco. 

E vai ter outro show chamado "Isso É Churrasco Sunset". Esse será mais longo, com mais de três horas de duração. Vai ser uma experiência gourmet, sempre conectado ao churrasco, da abertura até o final. Vai ser uma experiência 360 graus com o ritual do churrasco inserido. 

+++Leia Mais: Fernando & Sorocaba lamenta ilustração que mostrou Maiara & Maraisa com braçadeira nazista

RS Country: Churrasco tem tudo a ver com sertanejo. Tanto é que outros artistas, como o Michel Teló, também lançaram projetos envolvendo o churrasco. É uma coincidência?

Sorocaba: O churrasco é um grande ritual do sertanejo que está inserido no DNA do brasileiro. no churrasco você ouve boa música, come bem, faz amigos e fica de guarda baixa. Daí saem coisas que os mais tímidos não falariam no escritório. Vem daí boa parte do nosso processo criativo onde muitas coisas aconteceram em churrascos. É como a Pizzada do Faustão. Temos a churrascada do Fernando & Sorocaba.

Fernando: Churrasco é muito mais do que carne, é um evento social.

Sorocaba: No nosso caso, o churrasco conecta de verdade as pessoas. Nos shows, nós trazemos o churrasco para cima do palco, a gente se envolve. Está no nosso DNA. É gostoso e prazeroso e só amplificou o que a gente já fazia em casa desde sempre. 

RS Country: O novo álbum também tem uma pegada country, inclusive com a participação do Kenny Brown. Quais são as suas influências no country? 

Sorocaba: Escutamos desde Garth Brooks, Alan Jackson a Keith Urban. Começamos tocando praticamente no country. O Fernando & Sorocaba tem essa conexão desde sempre. 

+++Leia Mais: Fernando Zor relembra escolha do nome de Lauana Prado: "Já existia Naiara Azevedo e Maiara & Maraisa"

RS Country: O sertanejo é o estilo musical mais ouvido no Brasil, mas ainda sofre muito preconceito. A mesma coisa acontece com o country nos Estados Unidos. Por que isso acontece?

Sorocaba: Muitas pessoas da velha guarda não entendem essa modernidade do country. Existe essa briga. Uma coisa saudosista. Quando Milionário & Zé Rico surgiram, nossa, chamavam eles de braga. Agora, eles dizem: 'Nossa, que foda'. A gente não consegue explicar. Diziam que Chitãozinho e Xororó não era caipira, que era uma coisa meio mexicana. E hoje eles estão aí. Acho que isso vai acontecer com muitos artistas da nossa geração que sofrem preconceito também.

Fernando: E tem esse preconceito com muito outros estilos. No rock, por exemplo, tem gente que diz que prefere MPB.

Sorocaba: Mas essa guarda está baixando. Agora, com os streamings, já tem gente dizendo que gosta de sertanejo, mas gosta daquele estilo com o funk, ou daquele estilo com o forró. Acho que isso é uma tendência. Acho bacana a pessoa dizer que gosta de sertanejo com pegada de axé ou qualquer outra pegada. Se alguém quiser sertanejo com pegada country, vai ouvir Fernando & Sorocaba.

+++Leia Mais: Sorocaba revela que o filho Theo deverá nascer no final de março: "Estamos muito felizes"

RS Country: Fernando, tem algum motivo especial para você ter feito a primeira voz na música "Na Plateia" neste novo disco? 

Fernando: É uma coisa que eu sempre fiz em todos os discos. Eu faço, por exemplo, a primeira voz em "Madri" porque era uma música que o Sorocaba não acreditava muito. Nem nas rodas ele cantava. Ele dizia: "Canta aí, já que você gosta dela". Eu sempre cantei em bandas, já fui solo. De lá para cá veio essa divisão em que eu em algumas músicas eu faço a primeira voz. Na música "Na Plateia", fui eu quem fez os arranjos. Então, eu coloquei a voz e ficou daquele jeito. Eu cantava a música inteira, mas o Sorocaba veio depois e cantou a metade final. 

Ouça o álbum:

 

Siga a @RSCountryBR nas redes sociais e não perca nada do universo country e sertanejo.