Rolling Stone Country

Sem medir palavras, Eduardo Costa grava DVD e fala sobre música e polêmicas

Acompanhamos os bastidores da gravação do novo DVD em Curitiba

Cristiane Bomfim, em Curitiba, PR* Publicado em 28/01/2020, às 05h00

Eduardo Costa conversou com a reportagem da RS Country antes da gravação do DVD
Eduardo Costa conversou com a reportagem da RS Country antes da gravação do DVD - Foto: Cristiane Bomfim/Rolling Stone Country Brasil

Silencioso e com um cigarro de palha entre os dedos, Eduardo Costa subiu no palco do Teatro Positivo, em Curitiba, às 21h52 da última quinta, 23. Recebeu uma chuva de aplausos e assovios acalorados do público que lotava o local. Algumas fãs mais apaixonadas ergueram cartazes feitos em cartolina com declarações de amor. O cantor agradeceu com acenos e emplacou o hit "Coração Pirata", sucesso da banda Roupa Nova que ele regravou e lançou em junho de 2019.

Durante duas horas, Eduardo Costa emendou sucesso atrás de sucesso para a gravação do 5º DVD da carreira. Com levada country-rock, como definiu o produtor musical Romário Rodrigues da Silva, 41, à Rolling Stone Country Brasil, o trabalho privilegia sucessos de outros artistas e conta com apenas duas faixas inéditas: a belíssima "Ainda Tô Aí" e "Chama Ela Pra Mim". No palco as participações especiais ficaram restritas a Edson & Hudson, que interpretaram "Pode Ser Pra Valer", e Edy Britto & Samuel, que deram voz a "Mil Vezes Cantarei".

+++Leia Mais: Eduardo Costa grava novo DVD em Curitiba com pegada "meio rock"

Eduardo Costa com a filha e a ex-mulher Lilian no camarim - Foto: Cristiane Bomfim/Rolling Stone Country Brasil

 

Minha primeira entrevista com Eduardo Costa foi em março de 2012, antes de uma apresentação no então Credicard Hall, em São Paulo. De lá para cá, ele mudou pouco: a voz permanece potente e o cuidado com a escolha do repertório e produção musical de cada faixa ainda é algo muito sério para o cantor, que toma conta dos mínimos detalhes, desde o uso de um instrumento em uma faixa de música até o cenário. Costa ainda fala sem medir as palavras na ânsia de manter sua autenticidade. E usa da vaidade para disfarçar sua insegurança. “Você acredita que hoje eu acho que sou mais inseguro que naquela nossa conversa? Ainda mais agora que a idade chegou e eu estou com 40 anos”, me confessou no camarim, pouco antes de subir no palco em Curitiba.

+++Leia Mais: "Se você precisa de música na praia, você é burro": Eduardo Costa faz lista de 40 ensinamentos

O que mudou nesse período foi o espaço que a vida pessoal e declarações polêmicas têm ganhado na imprensa em detrimento das notícias sobre sua música. "Eu não gosto de causar, Cris. Mas polêmica é o que dá audiência, infelizmente", lamenta. E não foram poucas. Na lista, merecem destaque o apoio ao presidente da República Jair Bolsonaro (que também rendeu elogios), a venda do imóvel em Escarpas do Lago, em Minas Gerais, o boletim de ocorrência por ameaça registrado pelo atual namorado de Victória Villarim (ex de Eduardo) e a fresquinha declaração sobre o envolvimento no passado com menores de idade. "Elas foram minhas namoradas e muito importantes na minha vida. Sempre teve respeito e a diferença de idade era pequena." Para as outras controvérsias, ele também tem justificativas. "As pessoas distorcem e descontextualizam. Elas não me conhecem de verdade”, diz.

+++Leia Mais: Eduardo Costa diz que sexo a três é fantástico: “Eu, você e sua amiga”

Eduardo Costa tira uma selfie com Edson e Edy Britto e Samuel - Foto: Cristiane Bomfim/Rolling Stone Country Brasil

 

O fato é que entre 2012 e esta apresentação para captar imagens do seu novo DVD – o primeiro depois de sete anos – Eduardo Costa gravou dois DVDs ao lado do ídolo Leonardo (Cabaré e Cabaré Night Club) com quem fez duas longas turnês, lançou apenas 1 DVD (em 2013) e seu último disco de inéditas foi em 2015 (Vivendo e Aprendendo). Além disso, sua última música de trabalho foi a regravação de “Coração Pirata”, em junho de 2019. Questionado se a falta de novidades na carreira pode ser uma explicação pelo interesse em sua vida particular, diz: “Não acho”. Em 2012, o cantor afirmou que em médio e longo prazo imaginava uma carreira em que pudesse trabalhar melhor suas músicas nas rádios (as plataformas digitais como Deezer, por exemplo, ainda eram novidade) e têm feito isso.

+++Leia Mais: 5 vezes que Gusttavo Lima levou os fãs à loucura no novo clipe de "Milu"

Eduardo Costa caprichou na produção de seu novo DVD - Foto: Cristiane Bomfim/Rolling Stone Country Brasil

 

Na contramão do mercado: menos lançamentos e shows

“Os artistas lançam muitas músicas no ano porque rádios e internet vivem de pedido e música. Se eu tenho uma música que não está sendo procurada, tenho que lançar outra. Depois de ‘Coração Pirata’, eu ia lançar uma outra no ano passado e meu escritório disse não porque eu ia concorrer comigo mesmo, já que essa música estava indo muito bem. Graças a Deus, eu tenho esse privilégio de poder colocar uma música na rádio e ela emplacar.” Apesar disso, ele reconhece que o intervalo longo entre lançamentos nem sempre agrada fãs. “Tem gente que reclama. Eles estão com razão e eu também. Eu preciso atender eles, e eles precisam me entender. Eu preciso encontrar o meio termo: lançar mais músicas e trabalhar uma."

+++Leia Mais: Eduardo Costa muda o visual e rebate críticas: "Você tem uma opinião? Então guarda só pra você

Eduardo diz que apesar de ter investido em regravações – este novo DVD está repleto delas – continua compondo. “Eu tenho mais ou menos umas 200 músicas minhas em casa. Só não gravo agora as minhas porque acho um desperdício deixar esse tanto de música bonita que já foi gravada por outros artistas perdidas por aí. Música é minha vida e eu não vejo a necessidade de me autoafirmar com as minhas letras."

+++Leia Mais: Marília Mendonça critica perguntas sobre casamento com Murilo Huff: "Vocês estão em que época?"

Eduardo Costa interpretou sucessos da carreira e clássicos da MPB - Foto: Cristiane Bomfim/Rolling Stone Country Brasil

 

Depressão

Já a redução da quantidade de apresentações começou a ser desenhada no início de 2019. “Que bom que eu não me contradisse. Naquela entrevista eu disse que não queria fazer uma showzaiada e comecei essa redução no ano passado, que foi o mais estressante da minha vida. Foi um ano em que eu vim da turnê Cabaré em shows demais. Eu quase entrei em depressão por causa do excesso de trabalho. Eu não dormia, eu não voltava para casa, eu não via minha família. E chegou uma certa hora que meu corpo cansou. Eu me senti muito sozinho porque eu não tinha lugar." E conta com exclusividade: "Você fica em casa, a casa fica pequena. Você sai e o mundo fica grande. Você encontra um amigo que você queria ver e fica com ele 20 minutos e já quer sair de perto. Nada está bom, sabe? Eu comecei a ficar muito preocupado comigo porque eu gosto de estar sozinho para me analisar, só que esta solidão que eu estava sentindo era diferente. Eu queria alguém para cuidar de mim e eu não tinha. Eu queria amor e precisava dar essa diminuída nos shows para cuidar de mim”.

+++Leia Mais: Nova sister do BBB, Rafa Kalimann já foi casada com sertanejo e se envolveu em polêmicas

O novo DVD é resultado de quase três meses de trabalho - Foto: Cristiane Bomfim/Rolling Stone Country Brasil

 

O DVD

A gravação do DVD com pegada country-rock é resultado de quase três meses de trabalho, que começou com a escolha do local. Em novembro do ano passado, no caminho do aeroporto para o show em outro teatro curitibano, desta vez o Guaíra, o cantor anunciou ao gerente da Massa Fun, empresa de eventos do Grupo Massa, Ronaldo Rezende, de 37 anos, que gravaria seu próximo DVD no Positivo. “Olha, foram mais de dois anos tentando convencê-lo a fazer um DVD em teatro. Ele dizia que não sabia se ia combinar, se ia dar certo. E aí, três meses depois de ele decidir, aconteceu”, conta Ronaldo.

+++Leia Mais: Marília Mendonça fala sobre frustração por não poder amamentar e diagnóstico de doença do Léo

Pontualidade, cenário caprichado e poucos erros de gravação. O repertório escolhido contempla regravações de vários estilos musicais como o rock de Raul Seixas (com “Cowboy Fora da Lei”), o pop (na faixa “Eu Tive um Sonho”, de Kid Abelha), o romântico (“Aguenta Coração”, tema da novela Barriga de Aluguel na voz de José Augusto) e, claro, o sertanejo. Eduardo escolheu ao lado seu produtor musical Romário Rodrigues. “Ele pensa em tudo: no cenário, na melodia e nos arranjos. Ele é muito exigente, mas a gente se entende porque os gostos são parecidos”, conta Romário, que há oito anos faz parte da equipe do artista. Além de produzir, ele toca teclado.

Setlist

  1. Coração pirata
  2. Desejo de amar
  3. Será que foi saudade
  4. Cowboy Fora da Lei
  5. Aguenta coração
  6. Um pouco de nós
  7. Caçador de corações
  8. Ainda tô aí
  9. Amor de violeiro
  10. Mil vezes cantarei
  11. Eu tive um sonho
  12. Yolanda
  13. Abandonado por você
  14. Chorando se foi
  15. Me apaixonei
  16. Estou apaixonado
  17. Dor de amor não tem jeito
  18. Pode ser pra valer
  19. Os corações não são iguais
  20. Chama ela pra mim
  21. Seresteiro das noites

*Cristiane Bomfim é colunista da Rolling Stone Country Brasil e viajou para Curitiba à convite da produção do DVD

Siga a @RSCountryBR nas redes sociais e não perca nada do universo country e sertanejo.