Rolling Stone Country
Internacional » Country-trap

Por que a mistura do country e do trap em “Old Town Road”, de Lil Nas X, é um exemplo da luta antirracista [ANÁLISE]

A música que alcançou a 19ª posição no “Hot Country Songs” da Billboard foi retirada da lista por “não ser country demais”. Porém, a crítica estava exatamente aí

Mariana Calheiros Publicado em 07/06/2020, às 14h00

Lil Nas X venceu o Country Music Association Awards 2019 na categoria "Evento Musical do Ano"
Lil Nas X venceu o Country Music Association Awards 2019 na categoria "Evento Musical do Ano" - Reprodução/Instagram

Umas das músicas mais tocadas mundialmente em 2019 foi o country-trap “Old Town Road”, do cantor americano Lil Nas X. Produzida pelo cantor de 20 anos, a faixa foi montada com um sample da banda Nine Inch Nails e uma batida de teclado comprada por trinta dólares pela internet.

+++ Leia Mais: Flayslane mistura funk e eletrônica no novo single "Beat Gostosinho"; assista

Após explodir no TikTok, a canção ainda ganhou a participação da estrela country Billy Ray Cyrus e alcançou o topo das paradas, batendo os recordes de Mariah Carey e Drake. “Old Town Road” chegou a 19ª posição no “Hot Country Songs” da Billboard, mas foi retirada da lista do gênero pela justificativa de que “a versão atual não utilizava elementos suficientes do country contemporâneo para ser considerada dessa categoria".

A mistura do country com o rap ou trap (uma versão mais lenta e eletrônica do hip-­hop) é uma questão que gerou debates no mundo da música americana. Enquanto o primeiro é dominado por brancos, o hip hop caracteriza-se pela luta racial dos negros nos Estados Unidos (e no mundo).

O primeiro hit de Lil Nas X contrasta os dois gêneros e mistura temáticas opostas: as batidas e rimas que representam a discriminação no hip hop com o modelo tradicional do country nos acordes de banjo, além de uma temática “caipira”(caracterizada por brancos) na letra e no estilo do cantor nascido em Atlanta, sul dos EUA.

+++ Leia Mais: Fernando & Sorocaba faz esquenta para live com sucesso country; assista

“Old Town Road” fala sobre “levar o cavalo para a estrada da cidade velha e cavalgar até não poder mais”. Um refrão com fugas a galope e rimas de temas urbanos retrata, na verdade, um desejo de Lil Nas X. “Eu me sentia como um caubói solitário. Eu queria ir com meu cavalo para uma estrada na cidade velha e fugir. O cavalo é como um carro. A cidade velha é como um caminho até o sucesso”, explica o cantor.

O clipe oficial com participação de Billy Ray Cyrus é o conjunto que demonstra toda a crítica presente na letra da canção. Lil Nas X se inspirou no famoso videogame faroeste Red Dead Redemption II para explicitar a fusão do tradicional dos brancos com a luta dos negros, presente na canção pela mistura do country e do trap.

Após viajar para o futuro vestido de caubói, Lil Nas X anda a cavalo por um bairro de periferia com população negra. Ao vencer um carro numa corrida de rua, o cantor ganha dinheiro e segue para “Old Town Hall”, onde há apenas pessoas brancas com o estilo caipira.

+++ Leia Mais: Conheça Gabi & Raphaela, dupla de irmãs que mistura modão com pop e reafirma o lugar da mulher no sertanejo [ENTREVISTA]

Os versos com temas urbanos e rurais ao som de banjo e batidas do trap, misturado ao estilo street e chapéu de caubói, confere toda a crítica por trás do trabalho de Lil Nas X. O americano tenta unir “o melhor dos dois mundos” para mesclar gêneros distintos com premissas opostas. O country-trap é mais uma das diversas ações que lutam pela igualdade racial no mundo, com a inserção do negro num ambiente visto como “tradicionalmente branco”.

“Você pode botar elementos de rap em uma canção country, mas desde que seja um artista estabelecido no ramo. Quando um cara negro faz o mesmo, e ainda por cima alcança o topo das paradas, vem o questionamento: ‘Quem é esse filho da mãe?’“, comenta Lil Nas X.

+++ Leia Mais: Chitãozinho & Xororó prepara série de memórias dos cinquenta anos de carreira: "Guardamos com muito carinho"; assista ao primeiro vídeo

O country-trap não surgiu com “Old Town Road”, mas já apareceu no mainstream com os cantores DaBaby, Lil Tracy e Young Thug. O country tradicional também traz (poucos) artistas negros que tentam se destacar no gênero caipira, como Jimmie Allen e Kane Brown, que seguem a linha "clássica" sem misturar estilos.

Negro e assumidamente gay, Lil Nas X tenta inserir o movimento do hip hip ligado à luta contra o racismo no ambiente tradicionalmente branco e conservador da música country. Com barreiras cada vez mais dissolvidas entre gêneros musicais, o cantor que se considera uma “criação da indústria musical” traz um movimento anti-racista para o topo das paradas.

 
 
 

Siga a @RSCountryBR nas redes sociais e não perca nada do universo country e sertanejo.